top of page
  • sysmac

Intolerância Religiosa

Médico da UPA de Almirante Tamandaré é afastado ao dizer que jovem umbandista 'precisava de Deus'.


Um médico da Unidade Pronto Atendimento (UPA) de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, está afastado dos atendimentos desde a última passada. Ele está sendo acusado de intolerância religiosa durante uma consulta a uma jovem paciente, moradora da cidade. Ao Portal Nosso Dia, a Prefeitura de Almirante Tamandaré garantiu que afastou o médico das consultas até que um processo interno apure as acusações.


A jovem procurou atendimento médico com fortes tremores e respiração ofegante. Ela estava o lado do pai, que também entrou na consulta, no início do mês.


Segundo ela, o médico perguntou qual era sua religião e, ao responder que é umbandista, ele a diagnosticou com crise de ansiedade provocada por entidades religiosas.


Ele me pedia pra eu repetir inúmeras vezes "em nome de Jesus", e perguntava se eu já tinha recebido o "espírito maligno" no meu corpo. Disse também que eu estava tremendo porque provavelmente era algum "espírito". Na hora, eu estava tão mal que eu nem me toquei, mas a impressão que eu tenho agora é que (…) ele literalmente estava tentando expulsar um "demônio" que só existia na cabeça dele", contou a garota.


Intolerância religiosa


Para a jovem paciente, não houve problema na oração do médico, desde que ele tivesse a examinado antes. "Se ele tivesse pedido a minha permissão pra orar por mim, estaria tudo bem, mas a oração dele foi literalmente de alguém que estava tentando expulsar um "demônio". Eu dei sorte de ser apenas uma crise de ansiedade, porque ele só foi realmente escutar meu pulmão, me examinar depois de ter feito a tal oração. Se fosse um senhor tremendo e enfartando, ele perguntaria qual a religião? E se o senhor dissesse ser umbandista, ele iria deixar o senhor tendo um infarto enquanto continuava a oração?", questiona a jovem.

A jovem considera que a atuação do médico tenha características de intolerância religiosa. "Foi sim porque inúmeras vezes ele falava pra eu não voltar a pisar no "local do inimigo e, sim, na casa do Senhor".


Ainda, de acordo com ela, o médico receitou alguns medicamentos apenas após a insistência do pai.


Crime


A intolerância religiosa é considerada uma forma de violência de caráter físico ou simbólico, é um ato de discriminação, ofensa e agressão às pessoas por causa de sua crença e prática religiosa.


No Brasil, intolerância religiosa é crime previsto em lei, de acordo com o Código Penal brasileiro, Decreto-Lei número 2.848 e Lei 7716/89.


Em resposta, a Prefeitura de Almirante Tamandaré garante que afastou o médico das consultas assim que teve conhecimento. Um processo interno de investigação está sendo instaurado pela Secretaria de Saúde.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page